Docentes de Extremoz são destaque na 10ª edição do Prêmio Professores do Brasil

Dois professores municipais de Educação Física de Extremoz, Joaquim Mafaldo e João Paulo Vicente foram destaque na etapa estadual do Prêmio Professores do Brasil, em sua 10ª edição. O prêmio é uma iniciativa do Ministério da Educação com instituições parceiras e busca reconhecer, divulgar e premiar o trabalho de professores de escolas públicas que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem em sala de aula.

O professor Joaquim Mafaldo desenvolveu o trabalho intitulado “Corpo e Natureza na Creche Municipal Nova Extremoz”. O projeto consiste na confecção de tanques para captação de água dos aparelhos de ar-condicionado e utilização dessa água para regar plantas na escola.

O projeto foi pensado no início do ano letivo, quando a Lagoa de Extremoz estava com nível baixo de água e os professores sentiram a necessidade de conscientizar os alunos quanto ao uso consciente. O trabalho enviado para o prêmio também incluiu a confecção, pelos alunos com a orientação de professores, de brinquedos a partir de objetos recicláveis.

“Foi um trabalho muito relevante, a gente nunca imagina que uma experiência que nós desenvolvemos possa ganhar tanta repercussão. Foi interessante para mim perceber que o trabalho que desenvolvemos em Extremoz pode ser adaptado para outros contextos educacionais”, comenta o professor.

O outro trabalho que foi destaque no prêmio é do professor João Paulo Vicente, que treina bocha paralímpica desde o início do ano letivo com o estudante especial Renner Luís, de 15 anos, no Centro Infantil Estrela do Mar. O aluno tem comprometimento nos quatro membros superiores e inferiores devido a uma paralisia cerebral. Depois que ele iniciou a prática esportiva, melhorou consideravelmente a autoestima e a interação com os colegas.

O título do trabalho em destaque é “Contribuições da Educação Física na Inclusão das Pessoas com Paralisia Cerebral no Ensino Regular”. Renner já participou de algumas competições estaduais e chegou a ficar em 3º lugar nos Jogos Abertos Paralímpicos do RN, em agosto desse ano.

O professor agradeceu pelo reconhecimento e se disse feliz pela conquista. “O reconhecimento é muito importante, porque oxigena nosso trabalho e, de certa forma, faz com que esse trabalho seja visto por outros profissionais da área. Esse trabalho é muito relevante devido à questão da inclusão das pessoas com deficiência, repercutindo na melhoraria da qualidade de vida, autoestima e acima de tudo da saúde dessas pessoas”, afirma João Paulo.

A Prefeitura de Extremoz tem apoiado no traslado do estudante para os treinos na escola e na Unifacex, por meio de uma parceria com a Associação Paradesportiva do Rio Grande do Norte (APARN).

Os professores que ficaram em destaque entre os três melhores trabalhos de cada categoria em todo o Rio Grande do Norte. Os primeiros lugares seguirão para a etapa regional do prêmio. Cada docente recebeu uma placa de homenagem por ter desenvolvido os projetos.

1 Comentário

  1. Parabéns aos professores Joaquim Mafaldo e João Paulo pela iniciativa. O Brasil precisa deste tipo de criatividade em prol das pessoas tão pouco vistas pela sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *